Pular para o conteúdo principal

Candace Cansou de Viver


Candace havia chegado à uma dura conclusão: estava cansada de viver.

Chegou a um daqueles momentos em que todo mundo se pergunta: o que é que eu estou fazendo aqui? Candace sabia que não ia fazer a menor falta se sumisse. Talvez um ou dois iriam dar pela ausência dela, mas nada que atrapalhasse a rotina de alguém. Sabia que a ausência dela não ia ser motivo de preocupação pra ninguém. Candace se sentia uma pessoa completamente insignificante vivendo num mar de ostracismo. Ela não fazia a diferença em lugar nenhum. Onde quer que estivesse, era uma a mais. Poderia ser facilmente substituída por qualquer outro. Candace havia se cansado de tentar participar de grupos, sempre em vão, pois onde quer que fosse era apenas a novata que caiu de paraquedas nos grupos já estabelecidos.

Candace estava cansada de tentar ir em frente e só encontrar muros que a impediam de caminhar. Estava cansada de não ser ouvida. Cansada de ouvir a todos e aconselhar nos mais diferentes problemas dos conhecidos, mas na hora que precisava desabafar com alguém nunca encontrava um par de ouvidos que tivessem qualquer interesse na vida dela.

Estava cansada de ajudar pessoas, indicar caminhos, orientar, mas se sentir sozinha na hora que precisava de uma ajuda, por mínima que fosse. Candace sempre tinha o braço estendido, mas nunca encontrava alguém que fizesse o mesmo por ela.

Estava cansada de tentar ser um amiga legal e só encontrar olhares desencontrados por causa do seu jeito atrapalhado e tímido. Talvez com demora, mas Candace percebeu que não havia espaço para ela no mundo; aliás, não há espaço para todos no jogo da vida. Isso que chamamos vida é uma verdadeira selva, uma guerra sangrenta pela existência onde só os mais sortudos sobrevivem. Não é questão de força. É questão de sorte. Em conclusões como essa a desistência sempre é o único caminho a seguir. Pois que seja, então.

Candace desistiu da vida. Cansou de existir. Cansou de tentar e ser derrotada. Cansou de insistir e nunca dar certo. Cansou de ir em frente mas ser empurrada para trás. Cansou de tentar mergulhar mas ser jogada para cima. Candace estava cansada. 

E, em segundos, Candace resolveu seu problema. Havia se tornado uma a menos no mundo. Num universo de 7 bilhões, ela não era nada. Agora era uma a menos a procurar emprego, uma a menos a sonhar com um casamento perfeito que só existe nas novelas, uma a menos a tentar espaço nas rodas de amigos. Candace já não existia mais. 

Assim, cansada, ela deixou de existir. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porque Comprei a Playboy da Nyvi Estephan | Lifestyle #15

Nunca fui leitor assíduo da Playboy e sequer me interessava por revistas do tipo. Mas não sou hipócrita nem pré-adolescente para ter que esconder que já comprei algumas edições da revista. Sempre gostei do conceito do nu artístico, do olhar fotográfico da delicadeza do feminino em sua integralidade - daí meu interesse pela fotografia sensual. E claro, sou homem hétero e algumas vezes a beleza da playmate me chamou a atenção, mas nunca precisei comprar Playboy pra "bater uma", se é isso que pensam. Até porque usar uma folha de papel pra saciar tesão é algo meio estranho... Mas enfim.
E, se a intenção de ler a revista era o nu artístico, as edições dos últimos anos deixavam muito a desejar. A revista servia simplesmente para dar visibilidade a pseudo-famosas ávidas por dinheiro fácil e rápido, além de alguns minutos de fama após o BBB ou algo do tipo. 
Mas aí a Playboy, depois que saiu das mãos da Editora Abril e passou para a PBB Editora, mudou totalmente sua imagem e deix…

A Minha Casa | Crônicas #65

Você fez aquela viagem que vinha programando há alguns meses. Tudo é empolgante. Desde o momento do embarque no avião até a chegada ao local onde você pretende ter dias incríveis. Conhece gente diferente, visita pontos turísticos, conhece a história do lugar, frequenta as melhores baladas e bares, almoça com amigos, anda pela cidade, sente a simpatia e a receptividade das pessoas do lugar. Faz fotos ótimas que te farão recordar da viagem por alguns bons anos, e a cada vez que olhar as fotos vai se recordar com detalhes do contexto que a envolveu. 
O que pode ser melhor que isso? Apenas a sensação de voltar pra casa. 
Ao chegar em sua cidade, parece que o ar muda. Você já está acostumado até com a temperatura e o cheiro de poluição. Relembra as mesmas dificuldades para conseguir um taxi e não estranha a falta de simpatia do motorista, que simplesmente destrava o porta malas e deixa que você se vire com sua bagagem enquanto responde alguém no Whats App. Pega o trânsito de sempre até su…

O Que é Liberdade?

Digamos que você está num talk show, tipo o do Pedro Bial (os outros nunca deixam o entrevistado falar muito), e ele lhe faça aquelas perguntas estilo “jogo rápido” antes dos comerciais, e uma das pergunta seja: “o que é liberdade?”. Você responde com um sorriso no rosto imaginando que a resposta seja fácil demais: “liberdade é fazer o que quiser, sem precisar dar satisfações a ninguém”. Ele sorri, gosta da resposta, e chama o intervalo comercial. 
Mas será que liberdade é isso mesmo? Aliás, será que essa liberdade existe? 
Se você trabalha você deve satisfações ao seu chefe / coordenador / supervisor, etc. Se “fizer o que quiser” na empresa você simplesmente será convidado a integrar o time dos que buscam recolocação profissional. 
Se você é casado você deve satisfações ao marido / esposa, se é que deseja ter um relacionamento saudável. Se “fizer o que quiser” ganhará um divórcio, as vezes litigioso e demorado. 
Se você é adolescente deve satisfações aos seus pais, que ainda respon…