Pular para o conteúdo principal

Ele estava a fim de você. Não está mais.





E no final de tudo aquele cara, aquele mesmo que você chamou de amigo, aquele a quem você confidenciou segredos que nem seus pais sabem, aquele para quem você desabafou quando estava se sentindo mal, aquele com quem você pôde contar sempre, era exatamente esse o cara que estava a fim de você. 

Sim, menina. Ele estava a fim de você. 

Claro, ele adorava, como ainda adora, ser seu amigo. Ele gosta da sua companhia, gosta de passar horas conversando com você, seja conversas sérias sobre a vida ou sobre a religião, seja bobagens corriqueiras ou fofocas da vida dos outros. Mas ele queria algo a mais com você. E você não percebeu. 

Mesmo sabendo de todos os seus defeitos, mesmo conhecendo a bagagem pesada que você tem chamada passado, mesmo sabendo da vida complicada que você leva, ainda mais comparada com a vida leve e simples dele, ele estava a fim de embarcar nessa. Estava a fim de te conhecer mais do que como uma "amiga" e, mesmo que tivesse que enfrentar um mar agitado, ele estava a fim de aprender a nadar para cair de cabeça nesse mar. Tudo para ter algo a mais com você. 

Ele estava apaixonado? Talvez essa não seja a palavra, visto que paixão é coisa boba, sentimento tolo que apenas os adolescentes se podem dar ao luxo de ter. No alto de sua maturidade, ele queria mesmo era te apoiar, poder te abraçar quando você se sentir sozinha e te dizer o quanto você é especial, o quanto você é forte, o quanto ele se sente privilegiado por ter uma menina firme e doce como você.  Queria poder te beijar e te dizer para ficar tranquila. Ele queria sim ser seu porto seguro, ser a mão onde você pode segurar, o corrimão onde você pode se apoiar quando precisar subir os degraus íngremes da vida adulta. Ele estava disposto a ser aquele que você poderia chamar de "o homem da minha vida". 

Mas você não percebeu nada disso. 

Não só não percebeu como preferiu continuar procurando entre as mesmas figurinhas repetidas de sempre, como se estivesse em uma grande loja de roupas, mas procurasse sempre apenas peças da mesma seção, e insistisse em encontrar algo diferente, mesmo sabendo que irá encontrar apenas mais do mesmo. Você se deixou levar por status, por condição financeira, por coisas efêmeras que o tempo leva embora tão fácil como vieram. e com tudo isso abriu mão te algo com quem realmente te queria de verdade, com a sinceridade e a "sorte de um amor tranquilo". 

E agora? Agora ele não quer mais. 

Não quer porque, antes de querer você, ele tem algo raro chamado "amor próprio", amor esse suficiente para o privar de se entregar a algo não correspondido. Ele sabe que, mais ainda que te querer, ele quer bem a ele mesmo, o bastante para que ele não se dê ao luxo de sofrer por alguém que não o vê mais do que um amigo. Se é amizade, que seja amizade. Assim será. Assim agem as pessoas maduras, e assim ele agirá. Aprendeu isso de forma fácil? Não, perdem-se as contas de quantas vezes ele quebrou a cara em amores não correspondidos, até que aprendesse a se amar antes de amar outra pessoa. Se a outra pessoa não o quer, ele se quer. E isso é tudo. 

Ele estará lá para sua amizade, quando você o procurar. Mas agora a vida dele segue normalmente, até que encontre outra pessoa - ou outra pessoa o encontre - e possa recomeçar essa ladainha chamada "estar a fim". 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porque Comprei a Playboy da Nyvi Estephan | Lifestyle #15

Nunca fui leitor assíduo da Playboy e sequer me interessava por revistas do tipo. Mas não sou hipócrita nem pré-adolescente para ter que esconder que já comprei algumas edições da revista. Sempre gostei do conceito do nu artístico, do olhar fotográfico da delicadeza do feminino em sua integralidade - daí meu interesse pela fotografia sensual. E claro, sou homem hétero e algumas vezes a beleza da playmate me chamou a atenção, mas nunca precisei comprar Playboy pra "bater uma", se é isso que pensam. Até porque usar uma folha de papel pra saciar tesão é algo meio estranho... Mas enfim.
E, se a intenção de ler a revista era o nu artístico, as edições dos últimos anos deixavam muito a desejar. A revista servia simplesmente para dar visibilidade a pseudo-famosas ávidas por dinheiro fácil e rápido, além de alguns minutos de fama após o BBB ou algo do tipo. 
Mas aí a Playboy, depois que saiu das mãos da Editora Abril e passou para a PBB Editora, mudou totalmente sua imagem e deix…

A Minha Casa | Crônicas #65

Você fez aquela viagem que vinha programando há alguns meses. Tudo é empolgante. Desde o momento do embarque no avião até a chegada ao local onde você pretende ter dias incríveis. Conhece gente diferente, visita pontos turísticos, conhece a história do lugar, frequenta as melhores baladas e bares, almoça com amigos, anda pela cidade, sente a simpatia e a receptividade das pessoas do lugar. Faz fotos ótimas que te farão recordar da viagem por alguns bons anos, e a cada vez que olhar as fotos vai se recordar com detalhes do contexto que a envolveu. 
O que pode ser melhor que isso? Apenas a sensação de voltar pra casa. 
Ao chegar em sua cidade, parece que o ar muda. Você já está acostumado até com a temperatura e o cheiro de poluição. Relembra as mesmas dificuldades para conseguir um taxi e não estranha a falta de simpatia do motorista, que simplesmente destrava o porta malas e deixa que você se vire com sua bagagem enquanto responde alguém no Whats App. Pega o trânsito de sempre até su…

O Que é Liberdade?

Digamos que você está num talk show, tipo o do Pedro Bial (os outros nunca deixam o entrevistado falar muito), e ele lhe faça aquelas perguntas estilo “jogo rápido” antes dos comerciais, e uma das pergunta seja: “o que é liberdade?”. Você responde com um sorriso no rosto imaginando que a resposta seja fácil demais: “liberdade é fazer o que quiser, sem precisar dar satisfações a ninguém”. Ele sorri, gosta da resposta, e chama o intervalo comercial. 
Mas será que liberdade é isso mesmo? Aliás, será que essa liberdade existe? 
Se você trabalha você deve satisfações ao seu chefe / coordenador / supervisor, etc. Se “fizer o que quiser” na empresa você simplesmente será convidado a integrar o time dos que buscam recolocação profissional. 
Se você é casado você deve satisfações ao marido / esposa, se é que deseja ter um relacionamento saudável. Se “fizer o que quiser” ganhará um divórcio, as vezes litigioso e demorado. 
Se você é adolescente deve satisfações aos seus pais, que ainda respon…