Pular para o conteúdo principal

O que mudou em minha vida após participar do Método CIS



Quem me segue em minhas redes sociais pessoais já sabe que entre os dias 22 e 24 de fevereiro estive na turma 199 do Método CIS - treinamento de inteligência emocional organizado pela Febracis - Federação Brasileira de Coaching Integrado Sistêmico. Na verdade, o evento é muito mais do que apenas um treinamento. É uma verdadeira vivência de coaching integraado sistêmico, com 55 horas divididos em três dias de muito conteúdo, muito impacto emocional, muito conhecimento. 


Mas o que é o Coaching Integrado Sistêmico?

Muito mais do que uma orientação de carreira ou de vida profissional, o CIS é um acompanhamento que engloba todas as áreas da vida, seja ela pessoal, sentimental, financeira e profissional. Para o CIS, não adianta ter uma carreira bem sucedida se as emoções não vão bem. A chance de tudo dar errado e se voltar à estaca zero são enormes. 76% das decisões que tomamos diariamente são tomadas com base no nosso emocional, e negar isso, ou tentar apenas forçar decisões racionais é perda de tempo. Se mais de 3/4 da nossa vida é baseada no emocional, o correto é tratar nossas emoções, limpar o que não serve e trazer emoções sadias, para que o resto vá bem. 

Essa é a proposta do coaching integrado sistêmico, e também a proposta do Método CIS. São três dias de treinamento intenso sobre emoções, formação de sentimentos, reprogramação de crenças, perdão, gratidão, novas formas de encarar a vida, o dinheiro, as relações, quebra de padrões, enfim, uma grande terapia coletiva é a marca do Método CIS. 

E assim foi a turma 199, da qual eu participei, a maior até então, com 6000 pessoas. Foram dias de emoção, relaxamento, conhecimento, muito conteúdo embasado em ciência, em métodos provados cientificamente. 


E quem está por trás disso tudo?



O master coach Paulo Vieira Phd é o fundador da Febracis e um dos maiores profissionais de coaching do Brasil. Com uma experiência de mais de 20 anos na área, ele trás na bagagem cursos, graduações feitas no Brasil e no exterior junto de grandes nomes como Daniel Golleman. E é ele também o responsável por conduzir os três dias do Método CIS, trazendo para o público seu conhecimento, que ele encara como uma missão: levar as pessoas um estilo abundante de vida. 


Tem poder quem age



Essa é a frase que praticamente move o Método CIS. Também tema de um dos seus principais livros, O Poder da Ação, a frase "tem poder quem age" nos leva a entender que somos os responsáveis pela nossa vida, que não devemos esperar que as coisas aconteçam em nossa vida. Ao longo do Método CIS, Paulo Vieira nos fala também que "cada um tem a vida que merece ter", o que pode parecer meio chocante de início. Mas ao longo do Método somos levados a entender que na verdade nós somos os únicos responsáveis pela vida que temos, mesmo que as circunstâncias em volta sejam difíceis. Não temos o controle da tempestade, mas temos o controle do barco. Sou eu quem escolho de que forma as coisas vão me afetar. Se vou me deixar abater e parar ou se vou encarar e seguir em frente. 


Enfim, 



Participar do Método CIS foi um divisor de águas na minha vida. Me levou a um novo patamar de autoconhecimento e de autoafirmação, me levou a entender as crenças limitantes que me impediam de crescer e me fez entender que, se outros conseguiram chegar lá, eu também posso, e basta apenas que eu corra atrás. Se a vida foi mais difícil para mim que para outro, eu tenho que correr mais um pouco, mas o responsável sou eu e apenas eu. Não posso e nem devo esperar que as coisas venham ao meu encontro, muito menos sentar e me lamentar eternamente pelo que não deu certo. 

O Método CIS me fez entender o poder da comunicação que eu uso no meu dia a dia e que, quanto mais negatividade eu carregue comigo, mais sentimento isso irá gerar, e esse sentimento gera crenças limitantes. E toda crença, por si só, é autorrealizável. Me fez perceber também o quanto somos contagiados pelo ambiente que nos cerca e que, se queremos mudança, precisamos repensar as pessoas que nos cercam, nosso círculo de amizades, nosso relacionamento com pessoas problemáticas. 

Defino o Método CIS como uma grande terapia. Foi triste ter que terminar. A sensação quando se está lá é que aquilo poderia durar dias, e aguentaríamos mesmo sob o impacto emocional, mesmo sob as longas horas de curso - o último dia começou as 10h do domingo e terminou as 5h de segunda-feira. Vale a pena. Vale o investimento. Nada paga as ferramentas que adquirimos para encarar a vida. 

Aconteceu! 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porque Comprei a Playboy da Nyvi Estephan | Lifestyle #15

Nunca fui leitor assíduo da Playboy e sequer me interessava por revistas do tipo. Mas não sou hipócrita nem pré-adolescente para ter que esconder que já comprei algumas edições da revista. Sempre gostei do conceito do nu artístico, do olhar fotográfico da delicadeza do feminino em sua integralidade - daí meu interesse pela fotografia sensual. E claro, sou homem hétero e algumas vezes a beleza da playmate me chamou a atenção, mas nunca precisei comprar Playboy pra "bater uma", se é isso que pensam. Até porque usar uma folha de papel pra saciar tesão é algo meio estranho... Mas enfim.
E, se a intenção de ler a revista era o nu artístico, as edições dos últimos anos deixavam muito a desejar. A revista servia simplesmente para dar visibilidade a pseudo-famosas ávidas por dinheiro fácil e rápido, além de alguns minutos de fama após o BBB ou algo do tipo. 
Mas aí a Playboy, depois que saiu das mãos da Editora Abril e passou para a PBB Editora, mudou totalmente sua imagem e deix…

A Minha Casa | Crônicas #65

Você fez aquela viagem que vinha programando há alguns meses. Tudo é empolgante. Desde o momento do embarque no avião até a chegada ao local onde você pretende ter dias incríveis. Conhece gente diferente, visita pontos turísticos, conhece a história do lugar, frequenta as melhores baladas e bares, almoça com amigos, anda pela cidade, sente a simpatia e a receptividade das pessoas do lugar. Faz fotos ótimas que te farão recordar da viagem por alguns bons anos, e a cada vez que olhar as fotos vai se recordar com detalhes do contexto que a envolveu. 
O que pode ser melhor que isso? Apenas a sensação de voltar pra casa. 
Ao chegar em sua cidade, parece que o ar muda. Você já está acostumado até com a temperatura e o cheiro de poluição. Relembra as mesmas dificuldades para conseguir um taxi e não estranha a falta de simpatia do motorista, que simplesmente destrava o porta malas e deixa que você se vire com sua bagagem enquanto responde alguém no Whats App. Pega o trânsito de sempre até su…

Eu Prometo

Ainda não te conheço. Não sei onde você mora, com quem mora, não sei da sua vida, seus costumes. Não sei sua fisionomia. Se é loira, morena, ruiva, cor natural ou com tintura, alta ou baixinha, magrinha ou gordinha, se faz o tipo "gostosa" ou não, se tem dentes perfeitos ou se ainda usa aparelho. Se tem o cabelo liso ou encaracolado. Não sei se seus lábios são pequenos ou grandes, se seus olhos são castanhos ou verdes, se seu rosto é oval ou quadrado. Não sei se tem personalidade forte ou se é maleável. Se gosta de ter sempre a última palavra em tudo ou se está sempre aberta a outras opiniões. Não sei o que você gosta de fazer aos domingos à tarde, nem nos sábados à noite. Não sei se você gosta de café fraco, bife malpassado, Nutella ou pipoca de micro-ondas. Não sei se já tem quase trinta ou se é acabou de completar 18. Não sei quem são seus amigos, se você é tímida como eu ou expansiva, se é popular ou passa despercebida, se gosta de baladas ou prefere comer pizza em casa…