O amor romântico não existe




Quanto mais eu conheço pessoas comprometidas e os bastidores dos relacionamentos delas, aquela parte da relação que não aparece nas fotos do Instagram nem na festa de aniversario, mais eu me convenço de que o amor romântico, esse amor perfeito das poesias e das músicas entre duas pessoas, esse repetido à exaustão no dia dos namorados, não existe. Sou tipo um "ateu do amor", que não acredita que o amor seja a razão de duas pessoas viverem juntas, salvo raríssimas exceções, que estão sempre entre os mais antigos.

Isso porque muitas declarações de amor apaixonadas feitas por aí não resistiriam à simples pergunta "por que você está com ele / ela?". Se a resposta for sincera, pé no chão, sem rodeios. O que liga duas pessoas dentro de um relacionamento, dentro da mesma casa, inclusive, não é o amor. Em tempos de "amores líquidos", como diria Baumann, é a conveniência a responsável por fazer duas pessoas viverem sob o mesmo teto. Uma pessoa escolhe viver com a outra  não por amá-la, mas principalmente por ela ter algo bom a oferecer, algo que traga alguma vantagem ou benefício. Seja em coisas grandes, como a estabilidade financeira, seja em coisas pequenas, como garantir a carona para o trabalho, por exemplo.

Acontece que escolher alguém pelo que ela tem de bom a oferecer não é amor, é conveniência. O amor romântico, aquele em que você está com uma pessoa sem saber o motivo, apenas por ela ser ela mesma, não existe mais. Se é que algum dia existiu. Na verdade, em um relacionamento, o amor é a exceção. A conveniência é o que dita a regra do jogo para duas pessoas se manterem juntas.

A quantidade de pessoas comprometidas mas com "rolos" fora de casa é inacreditável. "Pegar" colega de trabalho ou amigo de faculdade é tão comum entre os casados que isso nem é questionado mais. As pessoas de uma forma completamente natural saem a caça, mesmo tendo o suprimento em casa. Por que isso? É a conveniência que te dá a brecha moral para isso. é a conveniência que permite, por exemplo, uma mulher casada sair com / pegar colegas de trabalho porque "vaca amarrada também pasta" - sério, ouvi isso! É a conveniência que te permite ser casado, pai, mas chamar as piriguetes do trabalho pra jantar e depois oferecer um "lugar mais reservado".

Amor é muito mais profundo do que eu vejo nos relacionamentos que conheço. Amor é o que liga, e o que menos se vê hoje em dia é pessoas ligadas uma na outra. Parece que as regras do mercado controlam até os relacionamentos. Como a lógica custo X benefício: o que eu vou gastar pra manter meu relacionamento com você X o que eu ganho em troca. No caso de homens, uma mulher bonita e sexo garantido algumas vezes na semana. No caso de mulheres, uma carona, um cara pra pagar conta, pra dar apoio.

É muito cruel isso? Sim, é. Mas estou sendo o mais realista que consigo ser. É assim que os relacionamentos sobrevivem hoje - aliás, "sobreviver" é uma ótima palavra pra definir o status dos relacionamentos atuais.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porque Comprei a Playboy da Nyvi Estephan | Lifestyle #15

A Minha Casa | Crônicas #65

Eu Prometo