Translate

#Opinião: Protejam as Vadias!



Weslley Talaveira

Durante toda a história a mulher sempre foi tratada como a "grande tentação" da sociedade. A própria Bíblia, livro sagrado cristão, conta, na história da criação do mundo, que Adão pecou por influência da mulher, a verdadeira culpada pelo erro da humanidade. E é incrível quando vemos que ainda hoje, em pleno século 21, essa mentalidade ainda está presente. Na mente de muita, mas muita gente a mulher ainda é a culpada pelos erros cometidos por homens. Se um homem trai a mulher, a culpa não é dele, mas da amante que se ofereceu ou da mulher que não soube dar carinho ao homem. Se uma mulher é estuprada, ainda tem de lidar com o machismo de certas pessoas que afirmam que as mulheres "dão motivo para serem estupradas", por usarem roupas "curtas demais" ou coisas do tipo. É algo como dizer que "o homem é um animal sexual descontrolado que vive de procurar uma transa, a mulher é quem tem que se cuidar". Essas são situações que ninguém imaginaria ter de viver hoje em dia, mas elas estão aí!

Pra tentar mudar esse ambiente, ou pelo menos conscientizar essas pessoas com essa mentalidade retrógrada, tem surgido em várias partes do mundo as Marchas das Vadias. O nome assusta, principalmente pela conotação que a palavra "vadia" tem no Brasil, mas a proposta é bem interessante. O protesto é feito por mulheres que querem fazer valer o direito de se vestirem como querem, sem terem de conviver com o medo de serem atacadas a qualquer momento por maníacos sedentos de sexo. Mulheres que não aceitam que digam que elas "dão motivos". Mulheres que querem se vestir como se sentem bem, independente do tamanho da roupa.

Se eu apoio? Sim,  Apoio. Penso que uma sociedade que diz que a mulher dá motivos pra ser estuprada está com algum problema. Independente do tamanho da saia ou do decote, nada justifica qualquer ato violento contra mulheres.

Falamos tanto em respeito, mas precisamos repensar um pouco o que entendemos por respeitar a mulher: será que só as que se vestem de forma "bem comportada" merecem respeito? Vou além: quem é que determina que tipo de roupa é "bem comportada" ou "mal comportada". Se um louco estiver a fim de atacar alguém, a mulher pode estar de saia e com Bíblia em mãos, nada disso vai impedi-lo (sim, um bom policiamento impediria). Nossas cidades tem de estar preparadas para proteger todas as pessoas, independente do tamanho da roupa que elas usam.

Quem diria, em pleno século XXI alguém ter de debater sobre respeito ao ser humano!

Nenhum comentário:

js.src = "//connect.facebook.net/en_US/sdk.js#xfbml=1&version=v2.0";