Translate

Eu dominei meu mundo #Mulheres2012

E abrindo a Semana especial Mulheres com Novas Ideias temos a cantora Lara Rossato:



Por Lara Rossato


Meu texto começa falando de 2005, desde que cheguei em Pelotas-RS com 17 anos e não conhecia quase ninguém. Para ir ao supermercado tinha que abordar alguém na rua e perguntar qual direção seguir. A distância da família me fez sofrer muito, pois mesmo que eu seja desapegada de objetos e de pessoas, eu me sentia desprotegida, não sabia pra onde correr se algo me acontecesse.

Como sou da zona rural de uma cidade do interior tudo em Pelotas parecia de outro mundo. Só a ideia de pegar um ônibus e atravessar a cidade era um desafio para mim, pois em Dom Pedrito, minha cidade natal, em 20 minutos de caminhada eu fazia isso. Pouco a pouco fui fazendo amigos, fazendo mil e uma bandas e compondo músicas sem sentido. Eu observava as bandas que figuravam na cena da cidade e me sentia distante de todas elas, de todo esse reconhecimento.

Fiz cursinhos pré-vestibular como qualquer adolescente que queria entrar na universidade, fiz festinhas com os amigos do cursinho e vivi um ou dois anos sem muito me exigir, mas sempre ensaiando em garagens como já fazia em Dom Pedrito e tocando em pequenos shows. Foi no ano de 2007 que entrei na universidade para cursar Biologia e fiz uma banda que teve uma boa visiblidade em Pelotas pois abrimos alguns shows de bandas conhecidas e eu gravei com eles algumas composições, fizemos um disco que nunca saiu pois logo na finalização do mesmo um desentendimento fez a banda acabar. E eu acabei junto com ela, pois havia posto todas minhas forças, minha esperança e estava certa que dessa vez ia dar certo. Chorei muito por um mês, me perguntando porque tinha que ser assim.

Então com o passar do tempo essa experiência foi uma das coisas mais maravilhosas da minha vida, pois foi dai que eu pude entender a expressão “há males que vem para o bem” e perceber a força que eu tinha dentro de mim para seguir a diante. Logo depois dessa tempestade toda eu viajei com amigos, nessa viagem eu compus uma música chamada “maior amigo, melhor amor” e voltei determinada a seguir com tudo, pois não havia deixado minha família, minha casa em vão. Eu recrutei amigos e fomos para o estúdio. Em um ano compus e gravei músicas para meu primeiro disco solo.

Fui muito determinada e passei por cima de todas as dificuldades que tive, com a ajuda de amigos cada vez mais estava metendo a cara e divulgando as minhas músicas na internet e fazendo shows em Pelotas. O meu disco foi muito bem aceito, teve ótimas críticas, levando em conta que foi gravado com pouco recurso financeiro em um “home studio”. Posso dizer que consegui muitos admirados de meu trabalho e cada dia aumentam mais, porque o que faço, faço por amor, pois acredito que nasci para fazer isso. Consegui aí aprender a diferença entre fama e sucesso, pois eu tive muito sucesso ao gravar e vender meu disco, digo isso porque vendi as poucas cópias que fiz. Dentro do tamanho dessa possibilidade, eu aproveitei toda ela.

Hoje figuro na cena musical da cidade de Pelotas, sou amiga de todos aquelas bandas e cantores que já eram conhecidos quando cheguei aqui como apenas uma adolescente totalmente sem rumo. Mas eu me dei um rumo, tirei proveito dos problemas e aprendi muito, sigo aprendendo cada a cada dia. Me conheci melhor, pude definir claramente minhas metas. Entendi que tudo tem seu tempo, embora eu seja meio apressada. Entendi que sou uma pessoa difícil de trabalhar porque sou muito exigente, afinal devo repetir que deixei tudo o que amo e que tenho para trás, para seguir esse sonho e não admito erros pois não estou escrevendo minha carreira à lápis.

Finalizando então e respondendo ao tema dessa Semana especial: eu não sei se todas as mulheres vão dominar o mundo, mas eu dominei o meu.


Lara Rossato, gaúcha de Dom Pedrito, é cantora. Gravou, em 2011, seu primeiro CD solo, Doce




Facebook: facebook.com/lsrossato
Site oficial: lararossato.com
js.src = "//connect.facebook.net/en_US/sdk.js#xfbml=1&version=v2.0";